sábado, 19 de dezembro de 2009

HISTÓRIA - PRIMEIRA FASE (1951 a 1959)


Miguel Pinto, Darci Zoeler, Flávio Machado, Júlio Pinto Silva, Prof. Albino Werlang, Adroaldo Liberali, Sevrino Grecchi, Alceu Ambros Mallmaaa, Luiz Capelari, Lauro Fenner, Ivo Stein e Jaime Mantovani.



O Juventus Atlético Clube foi fundado no dia 12 de março de 1951, por um grupo de estudantes do Colégio Santa Rosa de Lima, liderados pelo Professor Albino Werlang, sendo este grupo, descontentes, deixaram os aspirantes do Paladino F.C. Insatisfeitos com a condição de reservas resolveram fundar uma nova equipe, para disputar campeonatos e jogos amistosos.

Os primeiros encontros foram sediados no Hotel Liberali, de propriedade de Ernestina Liberali, que passou a ser a sede da entidade.

Após muita conversa, foi sugerido o nome de Juventus Atlético Clube. Nome sugerido e aprovado pela juventude de seu elenco. As cores originais e predominantes, que perduram até hoje, o verde e o vermelho, foram escolhidas em homenagem a Portugal, por sugestão do Professor Albino Werlang.

Junto com Albino Werlang, estavam Saul Liberali, Aldo Bortoli, Nico Zanini, Adroaldo Liberali, Lauro Fenner, Flávio Machado da Silveira, Jaime Araújo, Alceu Ambros Mallmann, Júlio Pinto Silva, Jaime Mantovani, Ernesto Carpenedo, Elias Scalco, Antônio Leutchuck, Geraldo Bortoli, Arnaldo Scalco, Norberto Jahn, Romalino Pinto e Silva, Carlito Bürcke, Peri Silveira, João Araújo, Amadeu do Prado Mallmann, Vicente Zoehler, Adão Monteiro, Germano Fenner, Dr. Manuel Baliú, Monteiro, João Nicolau Segger, Darci Zohler, Romeu Klocner.

Não temos registros da primeira partida de futebol, disputados pelo Juventus. .Mas, sabemos que por testemunho fotográfico, que eram os seguintes, os atletas que disputaram aquele jogo: Darci Zoehler, Júlio Pinto Silva, Flávio Machado da Silveira, Benjamim Lunardi, Albino Werlang, Antônio Lentchuck, Oly, João Jayme Araújo, Ivo Alffredo Stein, Alceu Ambros Mallmann, Lauro Fenner, Adroaldo Liberali e o massagista Egído Meurer. Como o Juventus não possuía condições financeiras para adquirir o uniforme, os primeiros jogos foram realizados com fardamento emprestado do S.C. Tuiutí, do Colégio Marista de Santo Ângelo. Em troca do empréstimo do fardamento, o Juventus cedeu atletas para os maristas, numa competição contra Santa Maria. Os jogos do Juventus eram realizados no campo da baixada do Pessegueiro. Embora um clube novo, possuía bastante torcida. As internas do Colégio das Irmãs, sempre compareciam, pela proximidade do campo, mas sempre sob os olhares constantes das freiras.

O primeiro presidente foi o Professor Albino Werlang. Em 22 de abril de 1953, o presidente de então, Sr. Severino Grecchi, comerciante, e segundo apuramos, hoje é funcionário público aposentado em Porto Alegre, deu entrada no Cartório local, para registro, o Estatuto do clube, no livro de Pessoas Jurídicas de nº A-1, a folha 118, do dia 19 de julho de 1953, sendo que no dia 20 de abril do mesmo ano foi publicado do Diário Oficial do Estado e Extrato do Estatuto do clube. Pelo Estatuto são considerados sócios fundadores: Dr. Manoel Baliú Monteiro, Severino Grecchi, Carlitos Gonçalves do Santos, João Jayme Araújo, Ivo Affonso Stein, Albino Werlang, Luiz Cappellari, Romeu Kloeckner, Adroaldo Liberali, Amadeu do Prado Mallmann, Alfredo Scholze, José Nicolau Segger, e Darci Zoheler. Naquele ano de 1953, a Diretoria do Juventus era assim composta: Presidente: Severino Grecchi; Vice: Otávio de Oliveira Sanches; 1º Secretário: João Jayme de Araújo; 2º Secretário: João Carlos Bürcke; 1º Tesoureiro; Romeu Kloeckner; 2º Tesoureiro; Aldo Lunilli Bortoli; Diretor Técnico: Miguel Barcelos e Diretor Social; Carlitos Gonçalves dos Santos.

O Juventus, a partir de então, começou a participar de campeonatos e disputar clássicos com o Paladino F.C., o E.C. Aliança, o E.C. Juventude e o Grêmio Esportivo Sepé Tiarajú.

Em 1958, por iniciativa do grupo liderado pelo presidente Sr. Elíbio Fredrich, sócio-proprietário de uma concessionária de automóveis, o Juventus foi o primeiro clube de Santa Rosa a ser profissionalizado, para disputar campeonatos da Federação Rio Grandense de Futebol. Dos anos 56/57, enumeramos alguns atletas que vestiram a camisa verde e vermelha: Paulo Zenni Araújo (goleiro) Antônio Copnde, Arno Mantey, João Manuel Lopes, Bircke, Delmar, Luiz Cappellari, Valdemar Oliveira, Plínio Augusto Tonel, Dinarte R. dos Santos, Odélio Vieira de Oliveira, J. Araújo, Willy Gonçalves Dias, Paulo, Jesus A. dos Santos, João, Luiz Carlos Mello, Domingos Dani, Diniz, entre outros. Neste período o clube adotou como símbolo a ave denominada periquito, por ser a cor verde predominante no seu uniforme, inclusive confeccionando flâmulas do clube onde estava esta ave desenhada para distribuição às equipes visitantes e comercialização entre os torcedores. Em função dos altos custos e falta de estrutura para continuar as atividades o Juventus licenciou-se no ano seguinte, encerrando assim a primeira fase há história do Juventus. De 1959 a 1970, manteve-se licenciado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário