quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

FATOS & FOTOS ANTIGAS DO JUVENTUS III

FATOS & FOTOS ANTIGAS DO JUVENTUS - 3ª PARTE DA SÉRIE

Colaboração de João Jayme Araújo


10 . GRAVAÇÃO

Certa feita o Paladino foi a Palmeira das Missões, jogar com o Ouro Verde. Como o time estivesse na ponta dos cascos, não foi difícil à Rádio Sulina conseguir patrocínio para que o jogo fosse gravado com divulgação para o dia seguinte à chegada em Santa Rosa

Por curiosidade de João Carlos Bircke, tentou-se ouvir a gravação. Qual não foi a nossa surpresa aos descobrirmos que o trabalho era praticamente impossível de se ouvir. Não havia aumento de volume que resolvesse.

A solução: Bircke ouvia a narração quase em “off”, falava ao narrador que então com sua voz forte fez com que a partida fosse ressuscitada. Trabalho que se foi pela madrugada a dentro. Expectativa pela audiência – tal qual a dos vídeos- tapes – era enorme. Graças à curiosidade e o destemor de ambos a gravação foi mandada ao ar, com grande sucesso. O resultado da partida? Deixa pra lá! Hoje que importância tem!

Registro Fotográfico X




9 . CONCURSO

O carnê do campeonato marcava para determinado domingo o clássico Juventus e Paladino.

Coincidentemente na mesma data foram realizadas provas de um concurso para o Banco do Brasil, em Santo Ângelo

Lá foram submeter-se à seleção Nique, do Paladino e Paulinho, Bircke e Jayme do Juventus. A prova terminou pelo meio-dia e se esperava que todos os atletas regressassem no “Dodjão” do Sr. CARLOS DENARDIN, presidente do Paladino. Para impedir ou dificultar a volta dos atletas do Juventus o Dodge já veio lotado de lá, com Lothar e outros para impedir a carona. Os jogadores do Juventus, serviram-se de um táxi cuja conta foi estourar no bolso do presidente ELIBIO FREDRICH. Mas chegaram a tempo.

Registro Fotográfico IX



Festa Aniversário do Clube

8 . PULMANN

Como se pode ver em algumas fotos, fazia parte do Juventus os jogadores PAULINHO, ANTONIO LEUTCHUCK e CARLOS OLIVEIRA. Todos estudavam em Porto Alegre. Quando necessitávamos de um time mais forte, eles eram convocados e vinha rever a terra, os colegas de time e jogarem. Saiam da capital pelo trem, às 19,00 e chegavam na gare local pelas 05h30m. Pela tardinha, depois do jogo retornavam a Porto Alegre, numa viagem, que durava uma noite e o dia seguinte..

Com a chegada do progresso o trajeto passou a ser feia pelo ônibus “Pulmann” da Ouro e Prata, que saia de Porto pela meia noite e aqui chegava ao clarear do dia.

Registro Fotográfico VIII


7 . MENOSPREZO

Havia, no Paladino, em determinada época um terceiro reserva de goleiro, que, às vezes, sofria de episódios de epilepsia. Foi acordada uma partida amistosa, entre este clube e o Juventus Um dos jogadores desse time, com era vizinho e conhecia essa particularidade, disse aos colegas. Hoje não tem ruim. Vamos chutar de qualquer distancia que esse goleiro tem problemas. O Paladino venceu e o arqueiro não foi exigido em e nenhum momento do jogo.

Aprendemos uma lição: sem esforço próprio nada se alcança, mesmo enfrentando adversários com deficiência..

REGISTRO FOTOGRÁFICO VII





6 . EXÉRCITO X BRIGADA

Uma boa parcela de jogadores do JUVENTUS, serviu ao Exército no mesmo ano e no mesmo Esquadrão. Tanto que na equipe dessa subunidade, atletas que eram titulares em seus respectivos clubes, - PALADINO e JUVENTUS, - não figurava no time militar.

A maioria, do Juventus, que era presidido pelo Major da Brigada HELIO CHAVES LOPES, o qual, por vezes enxertava o time dos Oficias do Exército. Comandava o Esquadrão o Capitão JOSÉ EDGAR PEDROSO DE AZAMBUJA, que fora presidente do Paladino.

Nos dias de treinos do Juventus. a gente solicitava ao Capitão, a pedido do Major, que nos permitisse sair mais cedo para podermos treinar no Campo do Pessegueiro.

O Capitão Azambuja respondia: - diga ao seu Presidente que se o futebol atrapalha o Exército, acabe-se com o futebol, mas nos dispensava.

Do quartel até o Pessegueiro atravessava-se a cidade de ponta a ponta. Quando lá chegávamos o treino já estava por terminar, se já não houvesse acabado.

Registro Fotográfico VI


5 . SARGENTO VERSUS CAPITÃES

Era muito grande a rivalidade entre ALIANÇA e PALADINO. Em determinada época jogava pelo Paladino um oficial do Exército, muito bom de bola. Recebeu este a visita de um companheiro de farda, melhor jogador do que ele. Vislumbrou, assim, uma oportunidade de, em uma partida amistosa, com o enxerto de seu amigo, derrotar o Aliança.

O problema maior era conseguir um árbitro que não fosse tendencioso e, sim, imparcial. Optou-se por um Sargento, portanto subalterno dos Oficiais. Seria a desforra. O Oficial visitante, por jogada faltosa, foi admoestado pelo juiz. Mais adiante, envolveu-se em uma briga com um adversário. Ao Sargento não houve outra alternativa, a não ser, expulsar os brigões.. O Aliança vencia a partida e, esta, por razões obvias, não teve prosseguimento.

Registro Fotográfico V



4 . GOLEIROS AVES ou PÁSSAROS

Chegou a Santa Rosa certa feita e foi prestar o serviço militar um cidadão vindo de Porto Alegre. Foi ser goleiro do Juventus e fardava-se completamente de preto. Como era dado a vôos embaixo dos paus recebeu, da torcida adversária, jocosamente, o apelido de CORVO.

Na mesma época foi goleiro do Paladino, outra pessoa vinda de fora e que, a sua vez, vestia um uniforme totalmente branco de acordo com sua cor, pois, era loiro.

A torcida do Juventus, alcunhou-o de POMBINHA

Assim Juventus e Paladino tiveram suas metas defendidas por AVES, sem contar que o goleiro do Aliança tinha o apelido de SABIÁ.

Registro Fotográfico IV

3 . IPIRANGA

Os mais antigos irão lembrar que, além dos clubes mais conhecidos existiu o Ipiranga Futebol Clube, originário do Regimento local e que tinha como Presidente “faz tudo” o Sr. Adão Monteiro, ex-funcionário da Viação Férrea e, depois, dono de loja comercial. Querendo reforçar seu time tentou “contratar” alguns descontentes com a reserva em seus respectivos clubes. Cercada de grande segredo, a reunião, aconteceu à noite. O contrato foi acordado, mas, jamais cumprido. Adicionar imagem

2 . IRMÃOS UNIDOS

Dos irmãos por muito tempo jogaram em times rivais, Paladino e Juventus. Ambos atuaram depois no Paladino, a pedido do pai deles Vicente Zoehler. Quando FRANCISCO JOSÉ BERTA, os contratou, para o Aliança, acordaram pagar a um, com uma moto. A outro, com uma geladeira. Por motivo ignorado a moto não apareceu e ambos ficaram com uma geladeira. Passaram a ser chamados, pejorativamente, por ‘GELADEIRA” por aqueles que não simpatizavam com o Aliança. Foi o início da grande arrancada do clube, cujo cinquentenário do título estadual, comemorou-se no ano passado, no anual ENCONTRO ANUAL DOS SANTAROSENSES em Porto Alegre.,comandado por CARLOS BERTA.e seus “companheiros de mesa”.

1. AVELINO LAVARDA

Exemplo de cidadão, sempre envolvido em todas as frentes nas causas que interessassem da comunidade.

Ligado aos esportes, foi Presidente do Clube Cultural, do Paladino e da Liga Santarosense de Futebol, dentre outras atividades.

Membro da tradicional família Lavarda, desempenhava suas atividades na Loja de Calçados, com competência e sempre cativando a clientela.

Quando chegava para o trabalho, antes, ia a casa de seus país – era só subir uma escada – e vinha de lá, com um chimarrão, lindaço como laranja de amostra.

A maioria das pessoas que por ali passavam, paravam para uma prosa.

O que mais se destacava, e era fruto da cobiça, o mate, servido numa cuia das buena e sorvido a preceito com uma bombona de prata.

O papo fluía solto, mas, daquele chimarrão ninguém provou, a não ser o próprio.

Registro Fotográfio II


Torcida Feminina do Juventus

Registro Fotográfico I


Nenhum comentário:

Postar um comentário