quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Futebol Amador

E. C. FARROUPILHA 
 LAJEADO REGINALDO


Com o objetivo de praticar o futebol como meio de recreação, lazer e convivência coletiva, em 20 de setembro de 1966, um grupo de pessoas, reunidas na comunidade do Lajeado Reginaldo, em Santa Rosa-RS., funda o Esporte Clube Farroupilha.
Como a fundação ocorreu na data comemorativa ao maior feito histórico gaúcho, a Revolução Farroupilha, o nome , é claro, e não poderia ser outro, homenagear o marco histórico.
A primeira diretoria foi composto por Egon Aloísio Sulzbach - Presidente fundador; Tesoureiro, Aldino Kuyven; Secretário, Hilário Miguel Schorr. O primeiro técnico foi Irineu Allebrandt.
Os primeiros jogos, até 1970, foram disputados num campo de propriedade de Carlos Guilherme Kuyven, que também buscava com sua camioneta os atletas no Bairro Cruzeiro.
A partir desta data, até 1977, as partidas eram jogadas no campo de propriedade de Albino Reckziegel. A partir de então, os jogos foram transferidos para o novo campo, situado ao lado da comunidade católica, onde permanece até hoje.
O primeiro uniforme foi costurado pela mãe do atleta Milton Allebrandt. A camisa era da cor azul com gola e punho branco e o calção da cor preta. O primeiro jogo foi disputado num campo localizado na localidade de Laranjeira, próxima ao bairro Cruzeiro, saída para Três de Maio.




A maior rivalidade nos anos 60 a 80, era os clássicos arduamente disputados contra as equipes do ExpressoToda Hora e o Cruzeiro do Sul, ambos do Bairro Cruzeiro.
Segundo o presidente, o Professor Armin Jahn, o clube se orgulha muito de dois atletas (goleiros) que vestiram o uniforme rubro-negro: em 1984, Claudio André Taffarel, tetracampeão mundial de futebol pela seleção brasileira, começou fazendo suas primeiras defesas no gol do EC Farroupilha; o outro é Danilo Krüger (anos 90), este da seleção brasileira de futsal. Ainda relata Armin, que Danilo, deixava sua residência na Avenida Inhacorá, e pedalando sua bicicleta, atravessava a cidade, percorrendo um trajeto só de ida de 10 quilômetros, só para jogar no Farroupilha, sem nada receber.
Além deles, outros atletas de Três de Maio e Catuípe, vestiram a camiseta do Farroupilha.


Desde a sua fundação, o EC Farroupilha nunca interrompeu suas atividades sociais e esportivas. Participou de todos os campeonatos municipais, sempre com brilhante destaque.
Mesmo com o êxodo rural, com a população diminuída, onde as famílias, em busca de melhores condições de vida, deixaram a comunidade e se transferiam para os centros urbanos e até outros estados, o clube sempre se manteve vivo, disputando campeonatos nas categorias, mirins, aspirantes, titulares e veteranos, com várias conquistas.
As duas maiores conquistas do clube foram os títulos do Campeonato da Liga de Cruzeiro em 1984 e do Campeonato Municipal de 2012. Em 1995, 1998 e 2010, se sagrou Campeão Municipal Categoria Mirim e em 1994  e 2011, Campeão Municipal de Aspirantes. O titulo que falta é o de Campeão Municipal de Veteranos.
O EC Farroupilha possui uma boa estrutura para a prática do futebol em sua sede, com um belo gramado, vestiários, sanitários e copa.
No ano 2000, o clube adquiriu uma Kombi, inscrito nas laterais, o nome do EC Farroupilha, que transportava os atletas para os jogos, fazendo sua história. Hoje está em descanso.
O Presidente de Honra é o Senhor Adolar Nicolau Abbeg. O Professor Armin Jahn, que foi goleiro em 1966, logo após a fundação, é o atual e abnegado presidente. Junto a ele, somam-se outros desportistas, amantes do futebol e que mantém vivo o Farroupilha.
No dia 17 e 18 de setembro de 2016, o EC Farroupilha estará fazendo uma grande festa na sua sede no Lajeado Reginaldo, com várias programações encerrando no domingo com um almoço comemorativo e homenagens. 

Equipe campeã em 1984

Equipe campeã Categoria Mirim 2011

Campeã Categoria Principal 2012


Em trabalho conjunto com o Editor de Esportes Fernando Kronbauer, do Jornal Gazeta Regional,   estaremos publicando várias matérias sobre os 50 anos do Farroupilha, 

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Por Onde Anda

OQUELESIO DOS SANTOS GALVÃO

Nome, local de nascimento, filiação.
OQUELESIO DOS SANTOS GALVÃO, sou natural de Lagoa Vermelha, RS, filho de Ernesto Galvão e de Silvina dos Santos Galvão.
Apelido (se for o caso) – não tenho apelido.
Casamento. Com quem, quantos filhos, netos e etc.
Sou casado com LUZIA GERALDO GALVÃO – temos um filho de nome MAURO GERALDO GALVÃO e um neto de nome DIOGO OLLE GALVÃO.
Grau de escolaridade – Ensino primário.
Como foi a infância (descrever, onde, quando). – foi boa a minha infância.
Vida esportiva (onde iniciou – atuou em que clubes ) – o que recorda desta fase.
Iniciei jogando futebol de campo no Clube União Independente, depois no Clube Tristezense F. C., ambos de Porto Alegre, RS; em 1964 joguei pelo Paladino F. C. da cidade de Santa Rosa, RS, levado pelo Sr. Ernani Kotlinski, a mando do  então presidente daquele clube de nome Dr. Monte Alvar, tendo ajudado na conquista do título citadino daquela cidade do ano de 1964, lembro haver jogado ao lado de Canjica, Chico Cappellari, Lotario Dreher (Patrola), Mineirinho, Mulita; o técnico era o famoso Artur Silva Ribas ( Caiera).

Tristezense FC de Porto Alegre, Oquelesio é o meia esquerda.

União Independente FC de Porto Alegre, Oquelesio é o quinto, em pé, da esquerda para a direita.

Estádio Carlos Denardin - 1965 - Paladino F. C. x Grêmio Portoalegrense. Em pé - da esquerda p/direita: Chico Cappellari, Cléo Souza, ?, Alberto Silveira, Luiz Fortes (Gordo), Paulo Souza, ?, Osmarino, Burrinho, Volmir, Varguinha, ?, Sergio Lopes, Oscar Warth, Airton Ferreira da Silva, ?, Altemir, Canjica, ?.Agachados: Thomas(Pelezinho), Lotario Dreher, Oquelésio dos Santos Galvão, ?, Ivanir Taffarel, Joãozinho, Pinheiro, Alcindo, Pedro Dias (Mulita), Mineirinho, ?, ?.

Clube(s) pelo qual torce -  torço pelo Grêmio Foot Ball Portoalegrense e pelo S.C. Internacional - tal ineditismo  em razão do meu filho MAURO GALVÃO ter sido atleta em ambos os clubes. 
Mantém atividade relacionada com o esporte? Sim, administro o Ginásio de Esportes denominado GALVAO ESPORTE – situado na Av. Ipiranga, n.ºs 543 e 549, em Porto Alegre, RS, telefone 51 3233 3007
Já foi treinador, dirigente ou algo similar? Não.
O que faz atualmente? Aposentado.


           
Colaboração de Raul Meneguini
e Paulo Heitor Fernandes - PHF

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Histórias e Memórias

DUQUE DE CAXIAS

O 1º Regimento de Cavalaria Transportado, atual 19º R.C.Mec, foi instalado em Santa Rosa, por ocasião da 2ª Guerra Mundial. Como não houvesse prédio para ele destinado, suas tropas foram divididas, ocupando instalações do CIRCULO OPERÁRIO, CLUBE CONCÓRDIA e CLUBE CULTURAL. A tropa profissional veio de várias Unidades de cidades vizinhas, como Santo Ângelo e São Luiz Gonzaga. Os militares especialistas do Brasil todo.
Qual o aglomerado de brasileiros que não sai, logo, batendo uma bolinha. Aqui não foi diferente. Mas houve um “porém”. Tendo em vista que os santa-rosenses eram em sua maioria nascidos ou descendentes de alemães e italianos, os militares não podiam me misturar. Isto é fazer parte do mesmo grupo. O Clube em evidência por esta época era o Paladino. Os militares fundaram um clube de futebol ao qual deram o nome de DUQUE DE CAXIAS, patrono da força e as cores escolhidas foram o vermelho e o preto, em listras horizontais, talvez, por sugestão do Major Waldir de Ávila e de cariocas que aqui chegaram. As partidas eram com o Paladino e excursionava muito para a Argentina. O time do qual trago memória era assim constituído: Dari, Bertuol e Dino. Berbigier, Waldir e Dari. Celso, Madureira, Wilson Codinotti, Edmar Lima e Cabreira.
Wilson Codinotti, ainda jovem, jogou no Paladino, quando o técnico era Orestes Andretta. Aos 16 anos, como voluntário, incorporou ao Exército. Quando incorporado foi emitida uma portaria pelo Ministro da Guerra proibindo a participação de militares em clubes civis, que vigorou de março de 45 até abril/maio de 49.
Durante 4 anos não pode praticamente praticar o futebol e acabou “perdendo” o ritmo.
Jogou no Duque de Caxias, no Ipiranga e no Paladino, onde foi inclusive treinador.
No Duque excursionavam à Argentina, principalmente a Oberá no dia  9 de Julho data da Independência daquele país.
Recorda que numa dessas viagens jogou de centroavante e pela ponta esquerda o Subtenente Edmar Lima. Dari Sim era o goleiro. Na equipe local atuou um centro médio que era reserva da seleção argentina. No final do jogo, Wilson fez um lançamento para o ponteiro esquerdo Lima. Este chutou forte marcando o gol. As redes eram de arame. Pela violência do chute a bola voltou até a área. Receberam medalhas e recebeu Wilson, o reconhecimento de “condutiere”.
Lembra que seu técnico, Sargento Schulz, no Duque de Caxias, de quando em quando bradava:
- Ave Zacharias....

TIME DE FUTEBOL DE OFICIAIS DO 1º RCM.
Quando o Regimento se instalou em Santa Rosa, havia uma Portaria Ministerial, proibindo que os militares integrassem qualquer agremiação esportiva local.
Fundou-se então no Quartel o DUQUE DE CAXIAS, que se pouco disputasse partidas com os civis, o fazia com os Argentinos, que eram neutros por não estavam entre as nações beligerantes.
Assim se enxertava o clube dos oficiais com quem era bom de bola. Ai vemos, Major Helio Chaves Lopes, Oficial da Brigada Militar, Paulo Araujo, Chico Queiroz, ex-cadete. Os demais são: Capitães, Aloisio, Medina, Ten. Hugo Ten. Onofrio, Cel Nésio, Asp. Darci Lunardi. Major Waldir e Capitão Raimundo Nonato.



Colaboração de João Jayme Araujo


sábado, 6 de agosto de 2016

Por Onde Anda

OSVALDO ANTÔNIO BÁRBARO

Nome, local de nascimento, filiação:
OSVALDO ANTÔNIO BÁRBARO, nasci em 11/02/1948 na cidade de Porto Lucena, RS, sou filho de Abrelino Ricardo Bárbaro e de Clara Tereza Bárbaro.

Apelido (se for o caso): não tenho apelido.

Casamento. Com quem, quantos filhos, netos e etc.: um filho e duas netas.

Grau de escolaridade: Sou Bacharel em Ciências Contábeis.

Como foi a infância (descrever, onde, quando). O que lembra com saudade:
Foi ótima. Jogando futebol, pescando, caçando, cavalgando e executando trabalhos caseiros, além de estudar, tudo acontecido no município de Porto Lucena, RS.


Vida esportiva, onde iniciou em que clubes jogou o que recorda desta fase:
Iniciei jogando no Uruguai F. C. de Porto Lucena-RS, depois pelo Paladino F. C. de Santa Rosa, RS, E. C. Aliança de Santa Rosa, RS, Riograndense F. C. de Santa Maria, RS, e no E. C. Internacional de Santa Maria-RS.


Clube(s) pelo qual torce:  em Porto Alegre pelo Grêmio Foot Ball Porto-alegrense, em Santa Maria torço pelo E. C. Internacional  e em Santa Rosa pelo Paladino F. C.  
Atividade atual: Atuo como Contador e empresário no ramo de Transporte de Cargas.

Mantém atividade relacionada com o esporte? Não.

Já foi treinador, dirigente ou algo similar? Somente no Futebol amador.

O que faz atualmente? Trabalho em meu escritório de Contabilidade e administro empresa que opera no ramo de Transporte de Cargas.




Osvaldo vestindo o uniforme do Inter/SM


Uruguai F.C.  de Porto Lucena RS- x Olímpia de Oberá em 06/08/1965 Campo do Uruguai - placar  2x1 para o Uruguai. Osvaldo é o quinto da direita para a esquerda.

Colaboração de Raul Meneguini

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Por Onde Anda

MIGUEL DE QUADROS PAZ

Nome, local de nascimento, filiação. : MIGUEL DE QUADROS PAZ, natural de Santa Rosa, RS, filho de Fermino Rodrigues Paz e de Maria de Quadros
Apelido – Miguelzinho
Casamento. Com quem, quantos filhos, netos e etc.
Casado com Henriqueta Casagrande Paz (falecida), filhos: Altemir de Quadros Paz e Ademir Quadros Paz; neto Wellington  Casagrande Paz.
Grau de escolaridade – Ensino primário.
Como foi a infância (descrever, onde, quando). O que lembra com saudade.
Jogando futebol no campinho da Estação Rodoviária e da Vila Americana,  estudei na Escola Visconde de Cairú, na cidade de Santa Rosa, RS.
Vida esportiva (onde iniciou,  em que clubes jogou – o que recorda desta fase.
Iniciei jogando em Santa Rosa, RS, no Paladino F. C. - como ponteiro esquerdo ofensivo - na época dos presidentes Dr. Monte Alvar Aurelio Rodrigues, Dr. Luiz Lopes Burmeister e Dr. Paulo Laércio Soares Madeira (1967 até 1972), tendo como treinador o Sr. Artur Silva Ribas (Caiera); no Paladino F. C. fui Bi-campeão citadino (1971/1972), lembro-me de um jogo contra o Rolinho do E.C. Internacional de Porto Alegre, treinado na ocasião pelo Sr. Ernesto Guedes, em jogo amistoso onde fiz o gol do Paladino, vencido pelo Inter por 3x1;


Posteriormente, joguei no Tamoio F.C. e Elite Clube Desportivo, ambos da cidade de Santo Ângelo, RS (1973/1978); em 1974 fui campeão citadino pelo Elite Clube Desportivo, lembro-me do jogo decisivo, realizado em campo neutro, contra o Tamoio F. C., vencido pelo Elite pelo escore de 1x0, tendo marcado o gol da vitória.


Legenda da foto acima:
Estádio do Elite Clube Desportivo – Santo Angelo, RS Equipe campeã citadina de 1976
Em pé: Alberi, Polaco, Tomé, Mariano (jogou no Cruzeiro de Belo Horizonte MG), Mauro, Carlos Alberto (goleiro).
Agachados: Capitão, Edorildo, Volnei, Luizinho e Miguel de Quadros Paz

Posteriormente passei a jogar também, pela ordem no  Cruzeiro de São Borja, RS, (1979/1980); Tupi F. C. de Crissiumal , RS, (1981); Cascavel, PR; Guarani F.C. de São Miguel do Oeste, SC (1982/1983);  encerrando a minha carreira no Paissandu, da cidade de Brusque (SC).
Na foto Miguelzinho é o último à esquerda.

Em Novembro de 2013 participei, como homenageado pela Secretaria de Esportes e Turismo do Município de Santa Rosa, RS, em evento denominado Noite da História e Memória do Futebol de Santa Rosa, RS, na condição de ex-atleta do Paladino F.C. – cfe. Foto abaixo, onde aparecem: Wilson Codinotti, Sergio Rodrigues, Charles Joner, Anacleto Giovelli, Irineu Donini, João Adão Mousquer Marques (de apelido Perigoso),  Dr. Paulo Soares Madeira, Mantey (de apelido Polaco), Bartolomeu Neiss (de apelido Pato) e Miguel de Quadros Paz.  (foto acima)

Na foto da esquerda para a direita: Irineu Donini, Paulo Madeira, Miguelzinho e Délcio Steffen.

Em 23 de julho de 2016, por ocasião das festividades pelo transcurso dos 70 anos de fundação do Paladino F. C. de Santa Rosa, RS, fui homenageado pela sua direção em evento realizado em sua sede social, tendo na ocasião recebido a medalha  Comenda de Mérito Desportivo.(foto acima)


Clube(s) pelo qual torce.   Internacional de Porto Alegre, RS
 Atividade atual – aposentado pelo INSS.
 Mantém atividade relacionada com o esporte? Não
 Já foi treinador, dirigente ou algo similar? Não

 O que faz atualmente? Aposentado, resido na cidade Apiúna, SC, há 35 anos.  Fone (47) 9233 2506 ou (55) 9693 8224


Colaboração de Raul Meneguini