quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

CATEGORIAS DE BASE

Juventus perde as duas finais no Estadual Suligafi

 


 Atletas pousando com as medalhas e troféu de vice-campeão estadual.
 
O Juventus Atlético Clube esteve envolvido em duas decisões no domingo, 14, válidas pelo Campeonato Estadual SULIGAFI. , disputado por equipes das categorias de base.
A equipe 2000, que havia vencido o Colégio Anchieta em Porto Alegre na etapa semifinal, perdeu a decisão para o Macleres, em Júlio de Castilhos, por 4 x 0.
Já o time da categoria 1998, após a vitória por 2 x 0 sobre o Caxias em Caxias do Sul, foi derrotado pelo CTFA São Borja, em Canoas, por 3 x 0.

Fonte da matéria: jornalnoroeste.com.br
Foto: Fernando Kronbauer

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Amistoso

JUVENTUS  X GRÊMIO/POA CATEGORIA VETERANOS

Neste sábado, dia 14/12/2013, as 18 horas, confrontaram-se amistosamente no Estádio Carlos Denardin de Santa Rosa, Juventus AC e Grêmio/POA, na categoria de veteranos. O Grêmio saiu na frente, Juventus empatou e o Grêmio ampliou para 2x1 na primeira fase. Na 2ª etapa, o Juventus chegou à igualdade no placar de 2x2.
Esse evento foi promovido  pela empresa  J.P.Marketing LTDA do ex-atleta Fábio de Los Santos, ex-Grêmio e Botafogo.  A  empresa, conveniada com o Juventus,  está formando uma equipe sub-17, a fim de disputar o estadual dessa categoria, em 2014 até 2016. Jovens entre 6 a 16 anos estão sendo observados para adicioná-los ao plantel santa-rosense. Estão convidados jovens nessa faixa etária, a fim de realizarem testes em Santa Rosa, pois essa empresa está sediada nessa cidade.
O Grêmio alinhou com: Mazzaropi: Fábio Lima, Fabrício, Luís Eduardo e Adriano: Gilberto, Paulo Henrique, Tijuana e Fábio de Los Santos: Grilo e Tefo.
Estiveram presentes ainda os craques do passado tais como o Flecha, ponteiro direito, ex-Guarani de Campinas, Coritiba, América RJ, Juventude, Brasil de Pelotas e da seleção brasileira; o Iura, e Jerônimo, os mais populares. Flecha foi o treinador, com seus atuais 66 anos.
Por Mílton H. Schwerz e foto de Fernando Kronbauer

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Fatos & Fotos


WALDEMAR 



Estudou em Santa Rosa e fez parte das primeiras equipes do Juventus, Jaime Mantovani.

Sua família residia em Santo Cristo. Seu grande companheiro de Bolão e futebol chamava-se Wilmar Badaró. Eram dirigentes do clube da cidade que levava o nome de Botafogo. Em duas datas consecutivas lá foram Juventus e Paladino, para infernizarem o time da casa.

Era goleiro da agremiação uma promessa. Seu nome Waldemar Schnabel.

Recebeu convites dos dois clubes para jogar no município-mãe. Optou pelo Paladino e confirmou tudo o que dele se esperava. Atuou com destaque em todas as partidas que disputou, bem como em Três Passos e Palmeira das Missões.

Tornou-se locutor de rádio e nessa condição foi trabalhar parece-me nas cidades acima na região celeiro.

A última vez que o vi desempenhava na rua Voluntários da Pátria, em Porto Alegre, funções de anunciante. 




Na foto acima: Waldemar, Lotário, Elci, Cabeça, Charles, Mauro, Nestor,  Euclides, Ivar, Caio e Décinho.

João Jayme Araujo

Categorias de base

  Sub 13 e sub 15 do Juventus vencem e estão na final do Campeonato Estadual da  Suligafi
 
No dia 07, as equipes sub 13 e sub 15 do Juventus entraram em campo pela semifinal do Campeonato Estadual Suligafi. A categoria sub 15 do Juventus se deslocou até a cidade de Caxias do Sul, onde enfrentou a forte equipe do Caxias, e venceu pelo placar de 2 a 1, com 2 gols do jogador Vinícius Sefovitz.
A categoria sub 13 do Juventus foi até a grande Porto Alegre, onde enfrentou o colégio  Anchieta e também venceu pelo placar de 2 a 1, com gols de Ruan Girardon e Idelmar Júnior.

Durante a semana, as categorias sub 13 e sub 15 do Juventus treinarão para aperfeiçoar a parte técnica e tática, para estarem preparados para a próxima partida que será a mais importante do ano, onde disputaram o título de Campeão em suas respectivas categorias.  A data da partida ainda não está definida, mas provavelmente será no próximo domingo. Maiores informações pelo fone: 9994-6879
 
Por Fernando Kronbauer

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Categorias de Base

 Escolinha futebol do Juventus oportuniza formação para a vida de adolescentes
 Por Fernando Krombauer

Uma parceria entre Juventus Atlético Clube, Prefeitura Municipal de Santa Rosa e a JP Marketing Ltda, fundada pelo ex-jogador de futebol Fábio de Los Santos foi firmada. Reconhecido por sua carreira vitoriosa que iniciou no Racing Futebol Clube da Argentina, Fabio teve passagens internacionais e no Brasil, atuou por clubes como Grêmio, Botafogo, entre outros.
O pontapé inicial do projeto foi dado por Fábio de Los Santos no dia 1º de dezembro de 2013, no Estádio Municipal Carlos Denardin em Santa Rosa, onde estará trabalhando como parceiro na colocação de jogadores que se destacarem nos treinamentos em clubes da região, como o São Luiz de Ijuí e no País, como  Corinthians e Fluminense.
Para Fábio, o projeto é um meio de proporcionar aos jovens um caminho. “É também minha realização pessoal, por isso, cuidarei pessoalmente para que cada garoto tenha a oportunidade de tentar realizar seu sonho e o atleta que se destacar será oportunizado o ingresso em clubes no centro do País”, disse.
Não se trata apenas da paixão pelo futebol, o projeto emprega a visão de que um atleta para ser bem sucedido, precisa driblar as dificuldades da vida e ser craque antes de tudo, como ser humano.
As inscrições estão abertas para jovens com idade de 05 a 16 anos de toda a região. Para contato via telefone (51) 8145-4855 (TIM) e  (55) 8107-0185 ou, ainda, junto ao Estádio Municipal na secretaria, durante horário comercial.
Além das escolinhas, inicialmente será montada a equipe para participar da Copa Três Coroas, a ser realizada no início do mês de janeiro. Dez atletas já estarão vindo por empréstimo das equipes do Grêmio, Internacional, Figueirense, Avaí e Criciúma. Para fechar o grupo que vai disputar a competição, serão avaliados atletas da região com data a ser definida, pois trata-se de uma competição com participação de equipes consolidadas no cenário esportivo nacional, sendo portanto, um momento único para apresentar os jogadores as outras equipes do centro do País.
De Los Santos, reconhecido no mundo por suas jogadas inesquecíveis, faz agora uma jogada de craque formando atletas para os gramados e cidadãos para a sociedade local. No dia 14 de dezembro de 2013 está confirmado o jogo de apresentação, entre ex-atletas do Grêmio de Porto Alegre e ex-atletas e colaboradores da região Noroeste. O mesmo estará à disposição para esclarecimentos e dúvidas quanto ao jogo e ao projeto que terá duração de 03 anos, sob responsabilidade única do empresário.

Veteranos: Juventus enfrenta o Grêmio/POA


domingo, 1 de dezembro de 2013

Por Onde Anda?



CAPITÃO

Gilmar César dos Santos, para o mundo do futebol, Capitão. Foi um ponteiro de bom drible e veloz. Nasceu em Santo Ângelo em 16 de novembro de 1951. Iniciou como atleta no Grêmio Santo-angelense, no ano de 1966. Em 1970, transferiu-se para p Elite Clube Desportivo, da mesma cidade. No ano seguinte foi contratado pelo Tamoio FC, também de Santo Ângelo. Com a fusão dos três clubes da cidade, criando a AESA – Associação Esportiva Santo Ângelo, Capitão foi para lá. Em 1975, veio a Santa Rosa, contratado pela ASRE – Associação Santa Rosa de Esportes, contribuindo para a melhor formação, até então e a melhor campanha em campeonato estadual.
Em 1976, foi para o Sampaio Correa, do Maranhão, onde se sagrou campeão estadual, anotando o gol da vitória na final. Em 1977, no retorno ao estado, foi defender o EC Pelotas. A seguir foi para o Moto Clube, do Maranhão, Remo e Paysandú, ambos do Pará, para em 1984, encerrar no América do Rio de Janeiro. Os gols que marcaram a carreira de Capitão, foram dois marcados no empate entre AESA 2 x  2 Esportivo de Bento Gonçalves e  o gol do título conquistado pelo Sampaio Correa.
Há alguns dias atrás (08/11/13), Capitão esteve em Santa Rosa, junto com Pontes, também residente em Santo Ângelo e radialista, que também foi lateral da ASRE, para receber uma homenagem a atletas que contribuíram para o futebol local.
Para Moacir Rigo e Irineu Donini, na época, dirigentes da ASRE,  autores da façanha de trazer Capitão, de Santo Ângelo para Santa Rosa, lembram de um gol marcado pelo atleta contra a Associação Alegrete, pela sua feitura.  A ASRE, lembram, pedia por um a zero, numa falha do nosso goleiro. Próximo, do final do primeiro tempo, Soni, que atuava como meia, lançou Capitão, este driblou os dois zagueiros, mais o goleiro e ficou na cara do gol, empatando o jogo.
Hoje, Capitão reside na cidade de Santo Ângelo, onde é proprietário de uma lancheria, no centro da cidade.



Na foto: Moacir Rigo dirigente da ASRE e os ex-atletas Capitão, Aroldi,  Pontes e Soni, companheiros da ASRE em Santa Rosa. Ao centro a vereadora Karina Kucharski,  que fez a entrega dos troféus, no evento em homenagem aos ex-atletas, dirigentes, técnicos e torcedores, ni dia 08/11/2013 em Santa Rosa.

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Futebol Amador


DO SANTOS AO REAL MADRID.

Não se trata do peixe ou alvinegro praiano e muito menos  do merengue madrilenho. Não falo do grande Santos de Pelé e do poderoso Real Madrid. De outro Santos e de outro, Real Madrid, daqui mesmo. Dois pequenos clubes de futebol amador da cidade, que em tempos idos contribuíram para o crescimento do futebol da nossa terrinha.

O SANTOS F.C.

O início
Um grupo de desportistas liderados pelo Sargento do Exército Brasileiro Sarito Batista e por Vitorino Girardon (o Vito), fundaram por volta do  ano de 1962 o Santos Futebol Clube, com sede na Vila Santos, Santa Rosa/RS. A eles se somaram Adão Batista (irmão de Sarito), Elemar Bosenbeck, Júlio Kirichenco, Ireno Galvão, Vilson Bonaerth, Eduíno Lima (o Canelinha), Camilo dos Santos, entre outros. O primeiro presidente foi o Senhor Vitorino Girardon.
O nome sugerido foi Santos Futebol Clube. Primeiro, fazendo referencia a Vila Santos, origem e sede do clube e, segundo, em homenagem  ao Santos de Pelé, na época o  melhor time de futebol do  mundo.
O uniforme escolhido foi: camisa branca com gola e punho preto, calções e meias brancas. Aliás, as mesmas cores do Santos/SP.
O primeiro campo se localizava nos fundos da Vila Santos, a margem esquerda do riacho denominado Sanga do Inácio, numa área de propriedade da Senhora Gasparina. Foi montado o campo para a prática do futebol, com as traves de madeira, afirmadas com prego e marcado o campo. Não havia redes. Quando a bola arremessada com violência, chocando-se ao poste, por vezes despencava tudo. Como era uma baixada, ao lado do riacho, no inverno dificultava a prática do futebol, devido à água armazenada no solo pela intensidade das chuvas da estação, formava um pântano.

Os primeiros compromissos
Adão Batista, fundador, ainda hoje morador próximo do local,  nos revela, segundo ele,  possivelmente o primeiro compromisso foi contra o Comercial do Bairro Cruzeiro, na casa deles, e o segundo jogo foi na própria casa, e enfrentou o Navegantes de Porto Mauá.
Elemar Bosenbecker recorda de alguns jogos: “Quando jogamos numa oportunidade contra o Olaria do Lajeado Figueira, eu estava como centro-avante. O árbitro marcou um pênalti a nosso favor e o treinador Vilson Bonahert pediu que cobrasse. Joguei a bola para cima do gol. Novamente pênalti a nosso favor. Outro foi destacado para cobrança. Pior ainda, foi mais alto, mais longe do gol. Enfim, na segunda etapa, fiz o gol, mas sofremos o empate. Numa outra oportunidade, jogamos num campo que existia a esquerda da ponte do Rio Pessegueiro, descendo a Avenida Borges de Medeiros, contra o 1º de Maio. Foi um entrevero grande. Briga mesmo.  Geralmente eu atuava na zaga, até por causa do meu tamanho, mas por vezes, como neste,  como centro-avante. E, nessa posição, fiz muitos gols n o primeiro tempo.”

Vida Social
Na Vila Santos havia um salão para atividades sociais de propriedade da Senhora Gasparina. O mesmo salão também serviu de escola e igreja. Lá o Santos realizava, como vemos nas fotos da escolha das soberanas em 1966, suas promoções para angariar fundos, como o baile de escolha das suas soberanas, além da copa em dias de jogos.

O fim
Em 1967, desaparece o Santos como time de futebol. Como já havia surgido o EC Real Madrid, este passa a ocupar o campo deixado pelo Santos FC, até 1972, quando tomou posse de sua nova sede na Vila Oliveira. Com isso o campo, que por muitos anos serviu de entretenimento para os finais da semana, na pratica do futebol, unindo pessoas de várias comunidades, virou potreiro.
Osvaldino Alves dos Santos, que era atleta e que jogava na posição de centro-avante no Santos, assume a presidência do Real Madrid e dá sequencia ao futebol. Com a desistência da equipe santista, vários atletas do Santos se engajam para jogar no Real Madrid.

O EC REAL MADRID

Com desaparecimento do Santos, surge o Real Madrid, por volta de 1967. Adão Batista,relata: “Vários jogadores que formavam o plantel que vinham da Vila Americana, se apresentavam pela parte da manhã” relata Adão Batista. ”Todos almoçavam lá em casa, e depois seguiam para o campo”, conclui.

O uniforme
A primeira camisa eram listras verticais, nas cores preto e branco. Posteriormente houve mudanças no desenho do uniforme. Passou a ser branco com uma listra preta transversal. Depois se associou o amarelo com uma listra preta transversal na camisa amarela  e depois sucessivamente outros modelos de uniformes preservando as cores, como os de listras verticais preto e amarelo.
A denominação de E.C. Real Madrid, segundo Osvaldino, foi uma homenagem ao co-irmão espanhol, visto que um dos integrantes do Santos FC tinha um grau de parentesco com um cidadão que morava na Espanha e que havia uma ligação com o clube espanhol. De lá, diz Osvaldino, nós recebemos um fardamento de graça.
Na baixada da Vila Santos foram realizados jogos durante dez anos, de 1962 a 1972, primeiro com o Santos e depois com o Real Madrid, onde este se transferiu para a Vila Oliveira.

A nova casa
Quando da urbanização de uma nova área de terras denominada Vila Oliveira, próxima da Vila Santos, atravessando a Avenida Expedicionário Weber, foi determinada que uma quadra do referido loteamento fosse destinado a uma praça pública. Ali foi construída, então, a nova sede, já como do Real Madrid. Isto, em 1972, quando da administração do Prefeito Anacleto Luis Giovelli. Osvaldino Alves dos Santos, então presidente, comandou a terraplanagem do terreno para o novo campo.
Na passagem para o novo reduto, a entidade foi legalmente constituída, como personalidade jurídica,

Conquistas:
1977 – Campeão Municipal.  Na época, existia uma rivalidade muito grande entre o Dínamo FC e o EC Real Madrid. O Dínamo-Real era o clássico da cidade. Havia enorme rivalidade. Ambos dividiam, ora um ora outro, a hegemonia do futebol da cidade. A final do campeonato de 1977 foi disputada entre ambos. Segundo comentários de quem presenciou o espetáculo, foi um jogo muito disputado, por vezes, com disputas fortes nas jogadas por parte dos jogadores. Os ânimos também se acirravam entre torcedores e dirigentes. Após o final da contenda, o jalde-negro da Vila Oliveira saiu vencedor, pelo placar de um  a zero, gol na cobrança de falta de Sérgio Cachorro. Com o resultado, sagrou-se campeão da temporada de 1977. 
Em 1977 também foi Campeão na Categoria de Aspirante. levou o titulo vencendo o Dínamo por um a zero, gol Arsolí Lopes (Furinho) marcada através de uma penalidade máxima. Odilo Hofferber jogava no time campeão e tem na lembrança o jogo final.

Campeão Municipal 1978
1978 – Bi-campeão Municipal.  Mesmo perdendo a decisão do Campeonato Regional para o Uruguai de Porto Lucena, a Direção e o grupo de atletas não se desmotivaram. Foram à luta e com muita garra e determinação, logrou êxito conquistando o bicampeonato. O valente Dínamo foi novamente o adversário. O Estádio Municipal foi palco de um grande jogo, lembra o presidente Osvaldino. Nosso time foi muito valente, complementa. O placar final foi de dois tentos a um, com gols de Nanico numa cobrança de falta e Beti Geiss, que numa escapada entrou na área e desviou do goleiro adversário.

1978 – Vice-campeão regional – Com um belo plantel, muito qualificado, o Real Madrid chegou pela primeira vez a final do campeonato. O adversário era o Uruguai de Porto Lucena. No jogo da ida, em Porto Lucena, com gol de Paulo Timm, o Real foi vencedor. Quando tudo se encaminhava para o título, jogando em casa, na frente da torcida, o adversário foi à desforra. Derrota em casa por um a zero (gol de Polenta).  Segundo critério do regulamento, dois resultados iguais beneficiava o Uruguai, então se tornou campeão.

1979 – Campeão Regional, disputando o jogo final com o Cruzeiro de Campina das Missões. Estava previsto a realização de três jogos: um em Santa Rosa, outro em Campina das Missões e novamente Santa Rosa. Na primeira contenda o Real levou por vencida por um a zero, gol de Santinho. No segundo jogo, no terreno adversário, poderia perder por qualquer resultado, que haveria ainda uma terceira, em casa. Acontece que o árbitro escalado para apitar o jogo, da cidade de Horizontina, sem justificativa, não compareceu ao compromisso. Pelo regulamento da competição, o Cruzeiro poderia indicar, na ausência da arbitragem, uma pessoa da comunidade local, para comandar o espetáculo. O mesmo, por pressão e faccioso,  favorecia demais o time da casa. Primeiro com uma penalidade, repetida a execução até a bola entrar e gol irregular anotado com o uso da mão. O placar estava dois a um para os locais e um ambiente impróprio para se jogar uma partida decisiva.  Sentindo-se prejudicado, a direção do Real, comandada pelo presidente Osvaldino, tirou o time de campo. Após reunião conjunta entre a organização do torneio  e  clubes interessados, decidiu-se pela realização em nova data de apenas um jogo em Campina das Missões e não como se previa anteriormente. Mudou-se o regulamento. Com o trabalho no apito do mesmo árbitro que não havia comparecido, o Real saiu perdendo, com um gol de pênalti, cometido pelo zagueiro Cláudio. O empate veio numa jogada de Taborda pela ponta esquerda, cruzou para a área, mas, com efeito, a bola foi de encontro ao poste e entrou no gol do Cruzeiro, o goleiro tentou tirar, mas a bola já havia ultrapassado a linha do gol. Bem colocado o auxiliar validou o gol. Com este resultado o Real sagrou-se campeão regional. 

1982 – Tri-Campeão Municipal - O jogo decisivo e final ocorreu entre o Ipiranga do Bairro Sulina e o Real Madrid, em dois jogos disputados no Estádio Carlos Denanrdin. Quem nos repassou os detalhes foi o capitão Olimpio Zamin. O primeiro, gol de Santinho, vitória do Real Madrid. O segundo, quando estava empatado em um gol(marcado por Nanico em cobrança de falta), houve uma invasão de campo por parte dos dirigentes do Ipiranga. A arbitragem decidiu encerrar a partida. Então, título foi decidido no tapetão. Após julgamento o título ficou com o Real Madrid. Por consequência, a taça do vencedor foi entregue em gabinete, ao capitão Olimpio Zamin, com a presença do Senhor Secretário de Cultura, Turismo e Esportes Luís Carlos Borges, o Secretario de Administração Amauri Giovelli e o Diretor de Esportes Valdir Dani.

Destaques
Alguns destes atletas se destacaram nos futebol profissional como Jarbas Tonel. Este começou a jogar no Juventude de Cruzeiro, depois foi para a capital jogar no Cruzeiro de Porto Alegre, aonde chegou a marcar dois gols na vitória dos estrelados de 2 a 1 contra o Internacional, num jogo do Campeonato Gaúcho.  Jogou ainda no Sport Recife, América/RJ e na Associação Santa Rosa de Esportes - ASRE. Outro destaque, Tato Moroni, jogou no Inter/SM, Vasco da Gama do Rio de Janeiro e em Portugal, no Braga e Ovarense, e na volta em vários times nordestinos do Brasil. Hoje exerce a função de treinador. Outros, como Lazarin, que era lateral da ASRE jogaram também no Real. Segundo o presidente Joel Fernandes, o próprio Cláudio André Taffarel, quando jovem, fez algumas defesas no gol do Real. Aliás, este enquanto esteve por aqui, jovem e sempre prestativo, atuou em várias equipes amadoras da cidade.

Osvaldino Alves dos Santos, o Grande Presidente.
Osvaldino, uma espécie de eterno presidente e patrono do clube, foi presidente de 1972 a 1982. Nos últimos dois mandatos teve apoio na diretoria, com o suporte do abnegado desportista  Olimpio Zamin.
Com a saída de Osvaldino, assumiu o Senhor Jolar Fernandes, que esteve a frente por mais dois anos, onde em 1984, quando o Real cessou as atividades esportivas.
Com a termino das atividades, nasce a Associação Atlética União, que ocupou então o espaço na comunidade da Vila Oliveira.
O incansável presidente Osvaldino Alves dos Santos foi o grande incentivador, tornando-se uma figura lendária na história do EC Real Madrid. Em 1989, foi presidente da Liga Santa-rosense de Futebol. Também fez parte da direção do Juventus AC, no futebol de salão. Atualmente aposentado, Osvadino descansa em seu sítio na Vila Santos.

Futebol de salão
Na época era assim denominado, o hoje futsal. Tinha suas regras diferentes das de hoje. O Real Madrid possuía um departamento representado pelo Spartacus, utilizando a estrutura do Real Madrid. Segundo o presidente Osvaldino, foram conquistados cinco títulos nesta modalidade nos anos de 1970. Jogava Sérgio Cachorro, Larazin, Chico Timm, Santinho, Taborda, Santinho, Nanico, Carlos, Luizinho Giordani, entre outros. Era um belo time, conclui Osvaldino.

Nossos agradecimentos ao Senhor Osvaldino Alves dos Santos, Adão Batista, Olímpio Zamin, Ódio Hofferber e Joel Fernandes, que gentilmente nos repassaram as informações.


terça-feira, 19 de novembro de 2013

Fatos & Fotos


Encontro homenageia os 50 anos da conquista estadual do E.C. Aliança

Santa-rosenses que residem em Porto Alegre e região metropolitana conservam o hábito de se encontrarem, para colocar o papo em dia e relembrar histórias. A presença de poucos por motivações várias, fez com que o evento quase se esvaísse. Os abnegados passaram o comando a Carlinhos Berta.
Pôs mãos à obra e bolou um plano de unir o útil ao agradável. Reuniu atletas remanescentes campeões pelo E.C. Aliança e aproveitou-se a ocasião para comemorar o 50º aniversário do campeonato Estadual  de 1959.
A festa de Porto Alegre foi em 2009, porém, para festejar os 50 anos da conquista pelo E. C. Aliança do campeonato estadual.

A final:
O primeiro jogo da final foi em Santa Rosa, no Estádio Carlos Denardin, contra o Miraguay de Tenente Portela  e o placar foi de 10 a 0. A escalação do EC Aliança, no primeiro jogo: Sabiá, Décio e Nique; Derly, Tano e Guido; Eloi Taquariano, Walter ou Mulita, Penicilina, Alceu e Tatuzinho.
No jogo da volta em  Tenente Portela, entrou no lugar do Derly  o Ivanir Tafarel  e o resto o time foi o mesmo acima. O resultado foi 2x0 para o Aliança.
Naquele tempo não havia banco de reservas. Quem nos passou os detalhes foi Raul  Meneguini, que somente acompanhou a delegação a Tenente Portela, porque o Técnico Caiera estava em dúvida entre Raul e  Ivanir Taffarel, para substituir o Derly, que havia se contundido no primeiro jogo em Santa Rosa. 
Na festa compareceram Nique Zoehler, Guido Fischer, Walter Wienandes (ao microfone), Alceu Mallmann.  A esposa Dona Hilda e seu filho Carlos Berta, num preito de gratidão a Francisco José Berta, Presidente e Patrono e prestando homenagem reviveram o episódio heroico.





Na foto os campeões Nique, Guido, Walter e Alceu além do promotor do evento Carlinhos Berta e D. Hilda.





Ao lado os já nominados, mais os convidados Cleóbis Araujo, João Batista Lemos e o casal Paulo (de costas) e Neiva Araujo. 






                                               Colaboração João Jayme Araujo/POA.

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Por Onde Anda?



 MILTON HARVEY SCHWERZ

Milton Harvey Schwerz, 66 anos, residente em Giruá,RS, natural de Santa Rosa-RS, casado com beatriz de Fátima Schwerz. Prole composta de Luana (Odontóloga), Lunize, (Médica Pediatra) e de Bervey( Eng.Químico e Administração de Empresas).
Ingressei na CEF, em 19.09.1974, em Santa Rosa-RS, concluindo o Curso de Ciências Contábeis, extensão da PUC de POA, nesse mesmo ano,  associando-me à nossa APCEF/RS no ano de ingresso na instituição.
Joguei futebol de campo pelo Juventude FC de Vila Cruzeiro - Santa Rosa - RS, depois pelo Juventus AC, que milita ainda no futebol gaúcho profissional, defendi as cores da seleção de futebol de campo Santa-Rosense, ante amistosos com a dupla GRENAL. Participei do primeiro clube profissional de santa rosa-rs, a ASRE, em 1973/74, deixando-a, a fim de ingressar na caixa.
Joguei futsal estadual pelo Tijuca e também pelo alvorada, ambos de Santa Rosa-RS.
Na CEF foram tantos torneios, inicialmente, no futsal na região das missões, pela agencia  Santa Rosa e após pela de Giruá. Fui campeão regional de futebol sete pela unidade de Giruá, campeão estadual na mesma modalidade pela CEF Giruá, na cidade de Vacaria - RS, torneio composto de cinco agências da CEF e a APCEF/RS, em 1988 e bicampeão estadual na cidade de Tramandaí, em 1989, junto com os colegas da unidade de  Cruz Alta.
Como treinador nessa categoria de futebol sete, fui campeão estadual com a Regional Missões, na cidade de Tramandaí, em 2011.
Ano passado, em 27/09/2012, a convite do colega Arnold Peres, joguei por uma equipe de veteranos paulistas, na capital de SP, por uma seleção interiorana paulista, onde me lesionei, novamente, o joelho direito, obrigando-me a desligar dos gramados.   Participei do maior campeonato de veteranos do Brasil, em Santa Maria-RS, na Categoria Sub-60, na modalidade de futebol de campo, pelo Imembuy.
Em 1964, fui campeão citadino juvenil pelo Juventude FC de vila Cruzeiro - Santa Rosa -RS, namodalidade futebol de campo. Pelo mesmo clube, campeão da taça prefeitura municipal, em 1968, clube em que jogavam o pai e o tio do arqueiro Taffarel, nascido nesse distrito santa-rosense.
 
Em 1963 fui campeão pela USES (União Santa-Rosense de Estudantes Secundários) em futebol de campo, pelo colégio Salesiano Dom Bosco.
Nos anos 60, fui campeão citadino em futsal, pelo G.E. Alvorada.
Em 1978, fui campeão da AMM (Associação Dos Municípios Das Missões), pelo E. C. Aymoré de Giruá, na modalidade de futebol de campo, ante o Piratini FC de São Nicolau.
Em 1969, fui campeão da várzea interiorana, de santa rosa, pelo E. C. Comercial da Vila Cruzeiro - Santa Rosa - Rs.
Aposentado, em 1999, colaborei intensamente com jovens promessas de tenra idade no futebol de campo, nas categorias de base do E. C. Aymoré e também da prefeitura municipal de Giruá, sem vínculo financeiro. Participei, em 2007/2008, como orientador técnico no futsal feminino de Giruá, num torneio regional das missões e grande santa rosa.
Em 1982, fui campeão municipal de futebol de campo, como atleta, pelo Giruá F. C.
Treinei a seleção municipal de Giruá, no biênio 1988/89, no certame estadual de  amadores de futebol de campo, promovido pela FGF.
Foram tantas mais conquistas, em várias modalidades, mas impossíveis de lembrar de todas.
Enviado Milton Harvey Schwerz - Giruá – RS.
Colaboração de João Jayme Araujo;POA e Raul Meneguini/SRO.

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Homenagem


 MORRE O DESPORTISTA WILY GONÇALVES DIAS

O futebol de Santa Rosa está de luto. Internado no Hospital Vida e Saúde desde sexta-feira, 08, morreu ontem, quarta-feira, 12, as 20horas e 30 minutos, aos 80 anos (completados no mes de outubro), após longa enfermidade, o Senhor Wily Gonçalves Dias.



A história de Wily Gonçalves Dias no futebol:

Para lembrar, à volta ao futebol profissional do Juventus AC, em 1997, teve a participação do  “Seu” Willy Gonçalves Dias, juntamente com o Jacob Luciano Gauer e  Luiz Fernando Rabuske.

Wily Dias, como assim era reconhecido pelos desportistas, residia com a família no Bairro Cruzeiro. Casado, pai e avô nasceu em Panambi, residiu e Cruz Alta, e fixou residência em Santa Rosa, onde constituiu família. Foi atleta exemplar. Muito disciplinado. Como centro-médio, tinha um futebol técnico e refinado. Em 1957, transferiu-se de Cruz Alta para Santa Rosa, e por cinco meses atuou pelo E.C. Aliança. Atendendo aos apelos insistentes do presidente Elíbio Fredrich, foi para o Juventus. Jogou também no Juventude FC do Bairro Cruzeiro, na época com um respeitado plantel de atletas, quando disputava em igualdade com os adversários da cidade. Como dirigente, foi presidente do Dínamo FC em 1989; presidente do Juventus, na retomada em 1997 e repetiu a gestão em 1999.

Ao nosso querido Willy , pelo seu trabalho, somada as amizades que fez na trajetória de esportista, deixou sua marca na história do futebol, de Santa Rosa. Por isso, o reconhecimento da comunidade santa-rosense. ­ O velório de  está sendo realizado na Capela São Camilo, da comunidade católica do Bairro Cruzeiro e o sepultamento será hoje a tarde após missa de corpo presente as 16 horas no cemitério do Bairro Cruzeiro.
Descanse em paz, Wily Gonçalves Dias.

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Homenagem

NOITE DE GALA NO FUTEBOL SANTAROSENSE

 Foto do grupo homenageado do Juventus Atlético Clube
 
Santa Rosa viveu na noite desta sexta-feira (08), no Restaurante Ponto 10, com certeza uma noite de gala para o Futebol Santarosense com a realização da Noite de História e Memória do Futebol em uma homenagem a atletas e personagens que contribuíram para o futebol de Santa Rosa, promovido pela Prefeitura Municipal de Santa Rosa, através da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer, na pessoa do Secretário Luiz Fernando Rabuske, o “Salsicha”, com colaboração do desportista Atanagildo G. Rorato, que está realizando um trabalho de resgate da história do futebol em Santa Rosa.


E como não poderia ser diferente a noite de muitas emoções, recordações e principalmente de resgate dos grandes nomes de clubes e jogadores do futebol de Santa Rosa.

Sub 15 do Juventus goleou o Ipiranga de Sarandi por 8 a 1

sábado, 9 de novembro de 2013

Por Onde Anda?



ALCEU AMBROS MALLMANN

Nasci em Guarani das Missões, na época município de São Luiz Gonzaga, em 16 de setembro de 1934.

Comecei a "brincar" com futebol muito novo e sempre gostei de driblar, chutar com vontade e força e correr bastante.

Em 1949, fui estudar interno, no Colégio Marista de Santo Ângelo, onde fiz parte da equipe de futebol, o Tuiuti, então com 15 anos de idade.

Em 1950 e 1951, estudei no Colégio Santa Rosa de Lima, das irmãs franciscanas. Naqueles anos jogávamos futebol no campo do Pessegueiro e em um terreno localizado onde, hoje, está construída a grande empresa Camera e, dali surgiu a ideia de fazermos um time de futebol, uma vez que, no Paladino não tínhamos vez, dado a nossa pouca idade. Em 1951 fui morar no Hotel Liberali, de propriedade da Dona Ernesta, mãe de nosso companheiro Adroaldo e do grande amigo Saul. Naquele ano os irmãos Maristas passaram a auxiliar as irmãs no Colégio, trabalhando com os meninos. Um dos professores, Albino Werlang foi um dos grandes incentivadores da criação de um clube, ele gostava de jogar e quando soube da idéia se prontificou a nos ajudar. Depois de algumas reuniões e foi, então, criado o JUVENTUS ATLÉTICO CLUBE, que continua a ser um grande orgulho do esporte de Santa Rosa.

Em 1952, fui interno para o Instituto Porto Alegre-IPA, na capital do estado, juntamente com os amigos Flavio Silveira, que já estava naquela cidade, Julio Pinto Silva, Carlos Oliveira e Antonio Leutchuk. O colégio tinha como professor de Educação Física o Técnico do Renner, Selviro Rodrigues, um militar vindo do Rio de Janeiro, grande pessoa. Depois do primeiro treino da equipe de futebol, fui convidado por ele a fazer parte do time juvenil de seu clube, tendo me levado pessoalmente ao estádio e me apresentando do técnico Abílio dos Reis, de grande capacidade profissional, disse que estava lhe entregando em mãos um novo Tesourinha, desta vez "branco". O que não aconteceu, visto problemas de saúde que eu tive.

Em 1953, voltei ao colégio Marista de Santo Ângelo e ao Tuiuti, contratado pelo Elite Clube Desportivo, dirigido pelo doutor João Augusto Rodrigues, passando, em 1954 a prestar o serviço militar, sem apresentar nenhum problema físico, como havia sido constatado em Porto Alegre. No Elite fomos campeões da cidade em 1953 e 1954.

 No ano de 1955, já trabalhando co Cartório Distrital de Tuparendi passei a jogar no Aliança, sob a presidência do senhor Francisco José Berta, que pagou uma certa importância ao Elite para me liberar. Naquele ano não disputei o campeonato de Santa Rosa porque havia feito a reversão de profissional para amador, o que implicava em parar durante um ano da disputa de jogos oficiais. Joguei até fevereiro de 1960, quando sofri forte contusão no joelho esquerdo, justamente em jogo amistoso com o Elite de Santo Ângelo, meu ex clube e encerrei minha carreira esportiva aos vinte e cinco anos de idade.(*)

Jogando pelo Aliança participei de partidas memoráveis:
Em 1956, em jogo festivo no campo do Quartel, goleada de 16 x 0, no Paladino, na estréia dos grande amigos Joaquim Capaverde e Julio Mussi de Andrade, quando consegui marcar seis gols.

Em 1957, goleada do Grêmio de Porto Alegre sobre a seleção de Santa Rosa, na inauguração do estádio Carlos Denardin, por 10 x 0. Nesta partida a seleção de Santa Rosa contou com 44 jogadores convocados, tendo 43 destes jogadores atuado durante o jogo.

1958, primeira partida decisiva do Campeonato Estadual de Amadores, série Amarela, vitória sobre a equipe de Quaraí, com muita chuva, por 7 x 5. O segundo jogo foi na cidade de Artigas, no Uruguai, perdemos por 3 x  2, com "grande atuação" do Juiz, um uruguaio daquela cidade, vizinha de Quaraí. No jogo desempate fomos goleados no campo do Rio Grandense de Santa Maria, por 5 x 2, com muita chuva e diarréia em vários jogadores. 1959, primeiro jogo pela decisão do Campeonato Estadual de Amadores, Série Amarela. Vitória fácil, 10 x 0, quando marquei cinco gols.. Na segunda partida vencemos por 2 x 0 e os perdedores fizeram uma grande festa em homenagem aos campeões estadual. Infelizmente não participamos da festa, uma vez que as filhas do presidente tinham aula no outro dia.

Em 28 de dezembro de 1957 casei com Maria de Lourdes Cardoso, para mim sempre a "Mariazinha" e que seria minha companheira por 54 anos, falecida de 26 de dezembro de 2011, deixando um vazio que jamais será preenchido. Felizmente ficaram sete filhos: Rubem Antonio, residente em Cidreira/RS, Mauricio, Bernadete, Adalgisa, Rogério (o Zéio), Graziela, todos residentes em Itapema e Cristiane, residente em Porto Alegre.

Resido também em Itapema, no Bairro Meia Praia, à Rua 203, n. 43, Edifício Ilha do Mel, apartamento 102, tel. 47-3368-7105 ou 47-3367-0011 (pela manhã, Empresa Siframar).

Clique no quadro superior a direita para abrir o arquivo ampliado.

(*) Segundo Raul Meneguini, o jogo que o Alceu fala, contra o Elite, em 1960, quando da sua ultima partida pelo Aliança, o escore foi 1x0 para o Elite, gol do centroavante Armando (argentino)  que fazia dupla de área com o Croaré ( o gol do elite foi de pênalti e foi marcado aos 45 minutos da 2ª  etapa pelo árbitro Julio Nunes) jogo realizado  no estádio Carlos Denardin. Para os meus conceitos o Alceu foi o melhor meia atacante de todos os tempos do Aliança e formou a melhor dupla atacante do Aliança, juntamente com o Penicilina.

                                        Colaboração de João Jayme Araujo/POA e Raul Meneguini/SRO

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Últimas Notícias

Santa Rosa presta homenagem a desportistas na NOITE DA HISTÓRIA E MEMÓRIA DO FUTEBOL.


Na oportunidade serão homenageados dirigentes, atletas, árbitros, imprensa e torcedores que marcaram época no futebol, desde 1925, quando da fundação do primeiro clube de futebol: o Uruguay Foot Ball Club.

O encontro será no dia oito de novembro, a partir das 20 horas no Restaurante Ponto 10, na Avenida América.

A promoção é da Secretaria Municipal de Esportes e Lazer de Santa Rosa. O evento está sendo coordenado pelo Secretário Luiz Fernando Rabuske.

                                   *****

Juventus se classifica para as Quartas de Finais do Campeonato Suligafi

Farroupilha vence Três de Maio pelo Gaúchão de Várzea

 

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Por Onde Anda?


 ROMALINO PINTO SILVA


Nasci  em Santiago,RS, em 18 de outubro de 1936 e aos cinco anos de idade passei a residir em Santa Rosa. Sou filho de Turene Andrade e Silva e de Maria Pinto Silva.

Casado com Alzira Egidia Goulart Trindade Silva, nascida em Itaqui (RS), filhos Turene Andrade e Silva Neto (Itaqui),Luís Roberto Trindade Silva (Santa Rosa) e Carla Christina Trindade Silva (Tuparendi).

Meu pai foi transferido e trabalhou na então Comissão de Terras, cujo prédio ainda existe e fica em frente à Praça da Independência na Rua Santo Angelo.
Iniciei os estudos no Grupo Escolar Visconde de Cairú, concluindo a quinta série.

Após ser aprovado na Admissão ao Ginásio, passei a frequentar  o referido curso (Ginásio) com os irmãos Maristas, em prédio adaptado da antiga igreja católica na, Avenida Borges de Medeiros.

Nesse período, era atleta do  E. C. Cariris, formado pelos estudantes do ginásio. Em reunião histórica realizada no gabinete dentário de Augusto Knebel, patrocinada por Bonifácio Lopes Camões e com participação de outros jovens atuantes do E.C. Guarani, fizemos a fusão dos dois Clubes, sendo este o motivo do novo nome E.C. Aliança, fundado em 17 de julho de 1952. Participei também como fundador do Juventus A. C., com participação do Professor Werlang.

Em 1953, como  jogador do EC Aliança,agora filiado a Federação Gaúcha de Futebol, quando passamos a contar com participação efetiva e atuante do Senhor Berta, proprietário de farmácia na Praça da Independência. Em 1954, tinha pouco mais de 15 anos de idade, participei como ponteiro direito do Clube, no primeiro campeonato citadino realizado em Santa Rosa, quando enfrentamos o Paladino, vencemos por dois a zero. Derrotamos também o C.A. Juventus. Vencemos os jogos e fomos consagrados Campeões do primeiro campeonato citadino reconhecido pela FGF  e que deu início do Hexacampeonato conquistado pelo E.C. Aliança.

Nossa equipe era formada por: Rodriguez, Berbigier, Ari, Neninho, Hélio, Adãozinho, Pinga (Rigo), Diomarte, Neco (Heitor), Penicilina (Fredolino), Rubens Maicá e Romalino(Nenê).

Em 1955, incorporei no Exército – 1ºRCM, no mês de fevereiro e como havia sido aprovado no Concurso para a Escola de Sargentos das Armas, em Três Corações, no Estado de Minas Gerais, fui matriculado no Curso da Arma de Cavalaria daquela Escola Militar. Concluído o curso, fui classificado no Regimento Escola de Cavalaria no Rio de Janeiro (RJ).

Permaneci no Rio de Janeiro até 1957, sendo  transferido para o 1º RC em Itaqui (RS). Em 1961, contraí matrimônio com Alzira Egídia Goulart Trindade e, em 1962, nasceu meu primeiro filho Turene Andrade e Silva Neto. Retornei  com transferência para o  1ºRCM  de  Santa Rosa.

Em Santa Rosa, entre 1963 e 1975, participei ativamente no Futebol de Salão, através do MONTESE E.C., composto por militares do 1ºRCM., onde conquistamos vários torneios e campeonatos citadinos.

Convidado e após eleito, fui empossado como  presidente da Liga Santarosense de Futebol, entre 1966 e 1967.

Transferido para o Departamento de Ensino e Pesquisa do Ministério do Exército  em Brasília e, após para o Comando Militar do Sul em Porto Alegre, onde passei a reserva do Exército no Posto de Capitão. Fui condecorado com as medalhas de Ouro, Prata e Bronze pelos bons serviços prestados.

Sou Bacharel em Ciências Contábeis e Administrativas - FEMA. Cursos de Psicologia e Técnica de Chefia e Direção, Relações Públicas, Administração Financeira e Administração Municipal.

Possuo Diplomas de  Honra ao Mérito da Câmara de Vereadores de Santa Rosa, do Ministério de Educação e Cultura,Hospital de Caridade de Santa Rosa e Serviço Relevante do Poder Público de Santa Rosa.
Eleito Governador do Distrito L-9 da Associação Internacional de Lions Clube, composto de sessenta e quatro municípios e 1640 associados. Fui empossado em Saint Louis - Miniapolis (EUA) em 1993. Ocasião que,  visitei  várias cidades dos Estados Unidos  e percorrer Canadá durante 16 dias (Montreal, Quebec, Toronto e outras cidades.)
Ao retornar para Santa Rosa, após deixar o serviço ativo do Exército passando para Reserva.

 Exerci os seguintes cargos:
- Secretário Municipal da Fazenda de Santa Rosa, no período de  janeiro 1989 à dezembro 1992.
- Presidente do Hospital de Caridade de Santa Rosa, entre janeiro de 1994 a junho 1995.
- Presidente em três mandatos do Lions Clube Santa Rosa-Centro  (2000,2006 e 2007)
- Venerável Mestre da Benemérita Augusta e Respeitosa Loja Maçônica Sabedoria, Força e Beleza, nº  93  no período de  07 dezembro de 1998 à 07  dezembro 1999.
- Governador do Distrito L-9 da Associação Internacional de Lions  Clube, de 01 Julho 1993 a 30 de Junho 1994.