sábado, 24 de junho de 2017

FUTEBOL AMADOR

E. C. COLONIAL

Lajeado Bonito


Em pé da esquerda para a direita: Darci Rodrigues da Silva, Ivo Hilebrandt, Valdomiro da Silva Costa, Adilino Fontana, Lamar Arbelo, Eca, Toninho Fontana e Pedro da Silva Costa. Agachados: Ari Marafiga, Neri Tábile, Eve Kraus, Abrilino da Silva Costa, Eloi Schleimer, Darci da Silva Costa. (Fevereiro de 1976).

Para conhecer um pouco da história desse time, entrevistamos o desportista Abrilino da Silva Costa, filho de um dos fundadores do Colonial.
Conta que seu pai Pedro da Silva Costa, mais os tios e alguns vizinhos, na década dos anos 1950, reuniram-se para fundar o Colonial do Lajeado Bonito. A proposta era de os moradores da comunidade, principalmente os jovens, a pratica do futebol, como um meio de diversão nos finais de semana, onde as famílias reuniam-se para conversar e ao mesmo tempo divertir-se.

O Colonial durante sua existência, que foi até 1985, teve sua sede ou campo de jogo em três locais diferentes. Segundo Abrilino(foto ao lado), o primeiro campo foi no travessão que passava ao lado de um matrizeiro de suínos, na propriedade de Rui Magalhães; o segundo em terras de Andrino Goulart( hoje pertence a  Chiquino Sturm) e o terceiro, perto da minha casa, em terras de Darci Rodrigues da Silva.
Abrilino, disse que desde aos doze anos participou das atividades, como atleta, dirigente e treinador, relata que o Colonial nos bons tempos, embora nunca tenha participado de campeonatos municipais, sempre montava grandes times, segundo ele, verdadeiras seleções; alguns atletas que jogaram para nós, como o Lamar, seu irmão Caio, o Baitaca (que mais tarde foram do Dínamo), o Gringo, Serginho, Sapateiro, Evandir(conhecido como Alto União), entre ouros tantos que marcaram presença no Lajeado Bonito.
 “Jogamos partidas com grandes adversários do município e da região, como aqui em Santa Rosa, o Cruzeiro do Sul, o Prenda, o próprio Dínamo, times de Porto Mauá, Porto Biguá em Alecrim, Entre-Ijuís, naquele campo na beira do rio, assim foram muitos que não dá para relatar todos”, destaca Abrilino.
Depois de deixar o Colonial, Abrilino ainda, como jogador, atuou no Flor do Ipê, da comunidade do Lajeado Ipê, próxima do Lajeado Bonito, onde lá também foi atleta e treinador.
Além do Colonial e do Flor do Ipê, Abrilino vestiu também, como atleta, as camisas do Rio Negro do Lajeado Manchinha e da Associação Guia Lopes. Abrilino também, por 15 anos, depois de parar como atleta, trabalhou como árbitro, voluntariamente, em diversas comunidades da região.
Assim como tantos outros times de futebol do nosso interior, como surgiu, desapareceu, deixando um rastro de história no nosso futebol amador.


Amistoso em dezembro de 1975, no lajeado Bonito, frente ao Cruzeiro do Sul(Vila Pereira/Bairro Cruzeiro). Atletas  do Colonial, da esquerda para a direita, em pé: Chico Fontana, Ivo Hilebrandt, Valdomiro da Silva Costa, Lamar Arbelo, Eca, Toninho Fontana e Pedro da Silva Costa(dirigente). Agachados: Darci Rodrigues da Silva, Ari Marafiga, Neri Tábile, Eloi Schreiner, Abrilino da Silva Costa, Darci da Silva Costa e Eve Kraus.

Agradecemos a colaboração de Abrilino da Silva Costa para a elaboração desta matéria.
Fotos: Abrilino da Silva Costa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário