sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Futebol Amador

FARROUPILHA 50 ANOS - ATLETA COM MAIS DE MIL JOGOS

Entre a carreira de atleta e dirigente, Chico Dias  tem 41 anos de dedicação ao clube.

Três gerações de atletas, esta é a família Gonçalves Dias do Bairro Cruzeiro. Chico, da segunda geração, iniciou no futebol aos 11 anos. Com 17 atuou no Cruzeiro do Sul do Bairro Cruzeiro, onde foi campeão.  No ano seguinte, em 1975, foi levado pelo seu amigo Tatinha ao Farroupilha, onde lá permanece por 41 anos, como atleta, treinador e dirigente.  Nesse período conta nos dedos os jogos que faltou. Acredita que passam de mil os jogos disputados com a camisa farrapa. Chico Dias é um símbolo de fidelidade desportiva no clube.  É o homem dos mais de mil jogos.  
Os fatos são tantos que marcaram a sua vida. Era tanto o fanatismo pelo esporte, que marcou seu casamento para sexta feira 20 de abril, pois no sábado era feriado, para poder jogar no domingo em Campininha, Tuparendi.  No nascimento de sua filha, outra história marcante, no domingo 19 de setembro 1979, iria acontecer uma partida classificatória contra o Real no estádio municipal,  antes do início do confronto a sua esposa falou que precisaria ir ao hospital, pois estava com sintomas que da criança nascer. Com o coração dividido Chico pediu para sua mulher se acalmar e assegurar até a manhã, e se mandou para o jogo, por coincidência do destino a filha Kátia nasceu no dia seguinte, na segunda feira, 20 de setembro, mesma data do aniversário do farroupilha, conciliando duas paixões em uma só data.
Em uma das únicas partidas que chico não jogou pelo farrapo, foi na localidade de Campo Alegre Porto Mauá, porque seu segundo filho Jéferson nasceu bem num domingo à tarde.
Como atleta foi campeão em 1984 e como treinador campeão com a categoria mirim, disputando o título com o Cruzeiro do Bairro Sulina, no campo do adversário, em 1991.
Chico se emociona ao lembrar de um jogo festivo, quando atuaram juntos ao seu lado, o pai Vily Gonçalves Dias aos 76 anos e seus dois filhos Jéferson e Everton(foto ao lado). No futebol espelhou-se muito no seu pai, pois quando criança o via atuar como volante e dos bons no Juventude de Cruzeiro.  Apesar da idade Wily demonstrou sua técnica com passes precisos durante o primeiro tempo.
Durante 41 anos destinados ao Farroupilha, o título de 1984 retrata a sua entrega pela equipe. Chico relata: “era a última partida da fase classificatória para o triangular final. Ouro Verde e Toda Hora já tinham garantido sua classificação. Nós enfrentávamos o Toda Hora no Lajeado Reginaldo e o Guarani de Pessegueiro que também tinha chances de classificação enfrentava o 1º de Maio do Lajeado Assombrado, em Pessegueiro. Para piorar a situação do Farrapo, os atletas Pretinho, Coutinho e o Naco estavam suspensos. Iniciou a partida em Reginaldo e  Tabordão, do Toda Hora, acertou um canudo abrindo o placar para os visitantes. Jaime Wolkmer empatou. Lembro como se fosse hoje. Nos tentávamos de tudo que é forma marcar mais um gol.  Mas o arqueiro Cláudio Taffarel(aquele mesmo da seleção brasileira) estava operando milagre. E, lá pelos 43 minutos do segundo tempo, vi o Pretinho e o Coutinho chegando no campo e dizendo que a partida em Pessegueiro havia resultado empatado. Com isso, só bastava  vencermos para se classificar para o triangular final. E, aos 44 minutos, Tijolada cruza uma falta e quando fui dominar a bola com o peito, ela expirou e me atirei fazendo um golaço de voleio em Claúdio Taffarel, sacramentando a nossa classificação. Todos me abraçavam, foi a festa. Fui para o primeiro jogo do triangular contra o Ouro Verde, com a bola toda, chegando lá o treinador me deixou no banco, não aceitei a situação, tirei a camiseta, disse nunca mais e fui embora e o farrapo perdeu. Mas a paixão era tanta que voltei, e no jogo seguinte já fui titular, disputando a final com o Toda Hora, que foi vencida por nós por 2 a 1, com gols do meu irmão Renato e Coutinho, nos sagrando campeões”. Relata Chico Dias.



Grupo do Farroupilha campeão em 1984. Chico Dias é o primeiro, agachado à esquerda.

Nenhum comentário:

Postar um comentário